Prevenção de úlceras de pressão

No âmbito da “Semana da prevenção das úlceras de pressão”, que decorre de 16 a 20 de julho de 2018, integrada no projeto-piloto nacional “Literacia para a segurança dos cuidados de saúde”, o CHL faculta-lhe ensinamentos para que juntos possamos combater estas lesões. Acompanhe-nos também no Facebook para saber mais.

A ocorrência de úlceras de pressão está diretamente ligada à qualidade dos cuidados que o doente recebe, e reflete, em grande parte, o trabalho do seu cuidador.
A prevenção destas lesões é feita através de uma correta nutrição e do incentivo ao movimento, da monitorização diária da pele do doente, da manutenção de uma boa higiene e hidratação, e do alívio da pressão, mudando a posição da pessoa frequentemente.

Consulte abaixo mais informação sobre as úlceras causadas por pressão, e como as prevenir.

Consulte também:
Manual do cuidador (Unidade de Saúde Familiar Anta, ACES Espinho/Gaia)
Manual do Cuidador - Guia prático ilustrado (Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados, Açores)

Jogue o quiz da prevenção das úlceras de pressão, teste os seus conhecimentos! 

 

As úlceras de pressão têm prevenção!



Ser cuidador é um grande desafio

Ser cuidador é um “posto” com muitos desafios. Sabendo que em muitos lares portugueses há um cuidador informal que apoia uma ou mais pessoas com algum tipo de limitação, importa dar informação útil e entregar ferramentas que apoiem o cuidador na sua rotina diária, para que a pessoa dependente tenha a melhor qualidade de vida possível. E atendendo a um problema muito recorrente em Portugal, esta semana falamos sobre prevenção das úlceras de pressão.
 
Nas pessoas com limitação física, as úlceras de pressão são um dos maiores problemas a evitar. São um problema de saúde pública e um indicador da qualidade dos cuidados prestados à pessoa dependente.
 
As úlceras por pressão são lesões localizadas na pele e/ou tecido subjacente, normalmente sobre uma proeminência óssea, como resultado da pressão, ou de uma combinação entre a pressão e forças de torção. Todas as pessoas que precisam de ficar restritas à cadeira, cama ou cadeira de rodas, devido a doença ou paralisias, podem desenvolver úlceras de pressão. A boa notícia é que a maior parte delas podem ser evitadas com um cuidado adequado.
 
É necessária assim uma vigilância diária para garantir que não se desenvolvem úlceras por pressão, que causam sofrimento e reduzem grandemente a qualidade de vida da pessoa e podem mesmo conduzir à morte. Vamos então abrir uma guerra às úlceras de pressão! Fique atento a este espaço, e à página de Facebook do Centro Hospitalar de Leiria onde partilharemos ensinamentos e cuidados a ter para prevenir as úlceras de pressão.

Como evitar as úlceras de pressão (parte 1: monitorização diária)

Para evitar as úlceras de pressão convém perceber como é que estas se desenvolvem. Estas lesões resultam da compressão dos vasos sanguíneos que fornecem alimento e oxigénio à pele. Se esta pressão sobre os tecidos for prolongada, estes acabam por morrer, e forma-se uma úlcera.
 
Entre as causas para o desenvolvimento de úlceras de pressão contam-se a permanência em cama ou cadeira de rodas, a falta de atividade, o não controlo da urina e das fezes, a má nutrição e a falta de sensibilidade física.
 
Estando o aparecimento das úlceras de pressão relacionado com proeminências ósseas, há que vigiar determinados pontos nas posições sentada e deitada, como por exemplo omoplatas, tornozelos, cotovelos, entre outros.
 
Entre os sinais de risco que o cuidador deve vigiar contam-se a pele avermelhada, manchas escuras (como se a pele tivesse levado uma pancada), zonas da pele mais quente, e zonas de pele mais pálida (como se o sangue não circulasse).
 
Esteja atento aos sinais!


Na imagem: Pontos de potencial desenvolvimento de úlcera de pressão.

Como evitar as úlceras de pressão (parte 2: cuidados com a pele)

Hoje falamos dos cuidados diários a ter com o maior órgão do corpo humano – a pele – para evitar as úlceras de pressão.
 
A higiene e o cuidado com a pele são essenciais. A pele deve ser observada diariamente (para monitorizar os sinais de que falámos ontem: vermelhidão, manchas escuras, zonas quentes ou pálidas), e deve ser feito um banho diário, com água em temperatura agradável e sabão neutro, e evitando a fricção (esfregar) excessiva. As toalhas e outros tecidos devem ser suaves e lisos, e a pele deve ser seca com leves pancadas, evitando a fricção. Evite aplicar na pele produtos com álcool, pois secam a pele, tornando-a mais frágil.
 
Após o banho, hidrate a pele com creme, evitando massajar as zonas ruborizadas, onde os capilares que alimentam a pele já estão afetados.
 
No caso de a pessoa ser incontinente, deve limpar e secar bem a zona das nádegas e genitais, e trocar a fralda, regularmente.
 
Sabemos que os desafios e rituais diários são inúmeros, mantenha-se desse lado, estamos cá para o apoiar. 
 
Muitas vezes os amigos, familiares ou mesmo os vizinhos dão apoio quando temos de cuidar de alguém dependente, contudo o cuidador acaba por ter uma tarefa muito difícil pela frente. Por isso não se esqueça que também tem de cuidar de si mesmo, planear a ajuda de que vai precisar a longo prazo, e pedir apoio aos profissionais de saúde sempre que necessário.

Como evitar as úlceras de pressão (parte 3: alívio da pressão)

Uma parte essencial da prevenção das úlceras por pressão é o alívio da pressão sobre as zonas mais problemáticas! Assim, e no caso da pessoa acamada, o cuidador pode e deve informar-se com os profissionais de saúde que acompanham o utente sobre as camas e colchões adequados à pessoa. Sendo o essencial aliviar ou espalhar a pressão do corpo sem causar fricção, deve usar lençóis com cantos elásticos (para que fiquem bem esticados), lisos e leves, e de materiais naturais (como o algodão). Deve utilizar almofadas especiais para o suporte dos pés e dos cotovelos.
 
Se a pessoa tiver mobilidade, incentive-a a mudar de posição regularmente. Se não tiver mobilidade, deve mudá-la de posição a cada duas horas – por exemplo seguindo o esquema: lado esquerdo, costas, lado direito, costas, lado esquerdo, e assim por diante. Não se esqueça de esticar bem as roupas e os lençóis, evitando assim as “rugas” nos tecidos, que causam pressão e fricção na pele.
 
Para não macerar a pele, deve evitar arrastar a pessoa, mesmo que em cima de superfícies macias – peça ajuda se precisar, proteja-se também, evite as lesões fazendo as manobras corretamente.
 
Quando deitada, a pessoa dependente deve ter uma almofada entre os joelhos e também entre os tornozelos. Não levante a cabeceira da cama mais de 30-35 graus para evitar a pressão e deslizamento. Não se esqueça de evitar colocar a pessoa sobre uma zona já ruborizada/avermelhada.
 
Na pessoa em cadeira de rodas, eleve o tronco por 60 segundos a cada hora, para aliviar a pressão nas nádegas e melhorar a circulação sanguínea no local. Evite as roupas, sapatos e aparelhos ortopédicos apertados.

Alimentação e exercício adequados para evitar as úlceras de pressão

Sim, a nutrição e o movimento são muito importantes na prevenção destas lesões. É sobre isso que falamos hoje.
 
Deve oferecer à pessoa acamada ou em cadeira de rodas alimentos naturais e frescos, e evitar a gordura animal. Vigie a dieta e siga as indicações dos profissionais de saúde, dando primazia ao leite, ovos, peixe e cereais. Caso lhe tenham sido prescritos suplementos alimentares, não se esqueça de lhos dar, e mantenha uma boa hidratação, dando um litro e meio a dois litros de água por dia (entre água, sumos e chás, caso não haja contra indicação).
 
Deve oferecer refeições frequentes e em pequenas quantidades, evitando a desnutrição e/ou a obesidade.
Os movimentos e/ou pequenos exercícios devem ser incentivados, como por exemplo pentear-se, lavar a cara, mudar de posição na cama, comer sozinho, mudar-se da cama para o cadeirão e vice-versa, entre outras rotinas.
 
A par da correta nutrição e do incentivo ao movimento, lembre-se de monitorizar a pele do doente, de manter uma boa higiene e hidratação, e de aliviar a pressão mudando a posição frequentemente. A ocorrência de úlceras de pressão está diretamente ligada à qualidade dos cuidados que o doente recebe, e reflete, em grande parte, o trabalho do seu cuidador.
 
Partilhe as suas dúvidas com os profissionais de saúde, estamos cá para o apoiar.