Dia Mundial do Ovo

O ovo apresenta vários benefícios para a saúde, pois é um alimento nutricionalmente rico em:
Vitamina A - influencia beneficamente a visão, interfere na regulação genética e a diferenciação celular.
Proteína - com um balanço de aminoácidos quase perfeito para as nossas necessidades, possui funções hormonais de transporte e de defesa pelas imunoproteinas, funções estruturais e enzimáticas.
Fósforo - influencia na formação dos ossos e dentes.

Geralmente um ovo possui 30,9% de gema e 57,3% de clara. 

A clara é constituída por água e proteínas (aproximadamente 3,3 gramas) e a gema é a parte do ovo que mais contém gordura (aproximadamente 5,2 gramas), logo, consequentemente, maior valor calórico, mas esta é também a que possui a maior quantidade de vitaminas.
Por sua vez, a casca, rica em carbonato de cálcio, é a parte dura do ovo (5,5%) que protege os seus nutrientes.

Mas afinal, quantos ovos podemos consumor por dia?
O ovo continua a suscitar várias dúvidas, não só sobre a quantidade em que deve ser ingerido, mas também em relação ao seu impacto na saúde.
Durante bastante tempo foi alvo de várias críticas porque poderia aumentar os níveis de colesterol no sangue, limitando-se muitas vezes a ingestão deste alimento a um ovo por semana, no máximo.

Atualmente, em evidências mais recentes, é apontado que se pode consumir um ovo diariamente sendo que este número pode aumentar em pessoas com uma prática desportiva mais regular.
Pessoas saudáveis podem, então, consumir entre 1-3 ovos por dia sem influenciar o colesterol LDL (colesterol "mau"), quando o seu padrão alimentar é rico em fibras e pobre em gordura saturadas.





Conteúdo elaborado por:
Ângela Carvalho
Coordenadora da Unidade de Nutrição e Dietética do Centro Hospitalar de Leiria