Doença bipolar

O que é a doença bipolar?

A Doença Bipolar, tradicionalmente designada Doença Maníaco-Depressiva, é uma doença psiquiátrica caracterizada por variações acentuadas do humor, com crises repetidas de depressão e «mania».

As crises podem ser graves, moderadas ou leves. As viragens do humor, num sentido ou noutro, têm importante repercussão nas emoções, ideias e comportamentos da pessoa, com défice na autonomia e saúde.

Existe tratamento?

Não há nenhum tratamento que cure a doença bipolar por completo. No entanto, há grandes possibilidades de controlar a doença, através de medicamentos - estabilizadores do humor - cuja ação terapêutica diminui muito a probabilidade de recaídas, tanto das crises de depressão como de «mania». As crises graves obrigam, muitas vezes, a tratamento hospitalar. O apoio psicológico individual e familiar é um complemento indispensável para o tratamento.

Diagnóstico

Por vezes, o diagnóstico das diferentes doenças psiquiátricas não se consegue fazer de imediato, por variadas razões, o que acontece, com alguma frequência, na Doença Bipolar. Neste sentido, a desmistificação da doença mental junto da sociedade é fundamental. O conhecimento das características das doenças mentais facilita o seu reconhecimento pelos próprios doentes e pelos que os rodeiam, e possibilita uma maior ajuda à pessoa que carece de um tratamento médico adequado e de uma compreensão humana solidária.

Quais são os sintomas da doença bipolar?

  • Mania

O principal sintoma é um estado de humor elevado, eufórico ou irritável. Nas fases iniciais da crise a pessoa pode sentir-se mais alegre, sociável, ativa, inteligente e criativa. Com a elevação progressiva do humor podem surgir alguns sintomas como:

- Irritabilidade extrema: o doente zanga-se quando os outros não fazem o que ele quer;
- Aumento do interesse em diversas atividades, gastos excessivos, dívidas;
-Grandiosidade: a pessoa pode sentir-se melhor e mais poderosa do que as outras;
- Energia excessiva, diminuição da necessidade de dormir;
- Aumento da vontade sexual, comportamento desinibido;
- Incapacidade em reconhecer a doença, com recusa de tratamento;
- Perda da noção da realidade, ideias estranhas e alucinações;
- Abuso de álcool e outras substâncias.

  • Depressão

O principal sintoma é o humor triste e a desesperança. Em função da gravidade da depressão, o doente pode sentir:

- Preocupação excessiva, pensamentos negativos;
- Sentimentos de inutilidade e culpa;
- Lentificação do pensamento, esquecimentos, dificuldade de concentração e em tomar decisões;
- Perda de interesse pelo trabalho, pelos hobbies e pelas pessoas, incluindo os familiares e amigos;
- Choro fácil, ideias de morte e de suicídio;
- Uso excessivo de bebidas alcoólicas ou de outras substâncias.


Por vezes o/a doente tem, durante a mesma crise, sintomas de depressão e de «mania», o que corresponde às crises mistas.

Informação elaborada pela equipa do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do CHL, baseada no site da Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Bipolares (http://www.adeb.pt)